Perguntas frequentes

Como costumas fotografar?

Adoro estar do vosso lado e acompanhar no que for preciso, ajudando a responder a qualquer questão que possa surgir, seja em que tipo de serviço for. Antes de cada serviço costumo dar dicas sobre o que resulta melhor, seja no horário ideal para tirar fotografias, no melhor vestuário, as melhores localizações... Seja no dia do teu casamento, no baptizado do vosso rebento ou até numa simples sessão, o que apenas pretendo é capturar sentimentos, as melhores expressões, o ambiente calmo que vos rodeia ou aqueles momentos mais loucos e todos os pequenos detalhes que vocês mais tarde irão querer recordar e que tornam as vossas fotografias únicas. Por isso decidi seguir a minha própria linha artística de mão dada com o meu próprio carácter: descontraído, sem pressões, leve e cheio de emoções.

Onde vives? Trabalhas para fora?

Neste momento vivo na cidade onde nasci, Santo Tirso. Estou entre grandes cidades como Braga e Porto por isso sinto-me privilegiado por sentir que estou perto de tudo. Já viajei um pouco por todo o país e estou preparado para me deslocar para onde precisam de mim. O limite é o céu!

Quando é que tenho acesso às minhas fotografias?

Depende muito do tipo de trabalho mas tento ser o mais célere possível. Nas sessões mais simples, dentro de uma a duas semanas envio o link para aceder à galeria online. Se for algum trabalho com álbum digital, o normal será demorar bem mais tempo, pode ser de 2 meses nos baptizados até 4 meses nos casamentos. Tento ser o mais transparente possível neste processo para que nunca fiquem tempo em demasia sem ter acesso ao trabalho final. Coloco-me permanentemente na vossa pele por isso pretendo que seja tudo muito rápido e fluído.

Quantas fotografias normalmente entregas?

Nos casamentos posso entregar entre 800 e 1200 fotografias editadas por exemplo. Nos baptizados e sessões entrego entre 500 e 800 fotografias editadas. No geral capturo bem mais do que isso e ofereço-as todas sem marca d'água.

Tens algum espaço físico que possa visitar?

Tenho plena consciência de que um espaço físico como uma loja ou estúdio daria, em primeira análise, mais credibilidade e confiança. Porém, é a minha convicção que quanto mais me conhecerem mais depressa essas dúvidas se dissiparão. Faço questão de marcar um encontro num espaço neutro, principalmente um local onde se sintam bem e vos seja familiar de algum modo. Se não for possível presencialmente, que seja através de Skype ou algo semelhante. Costumo transmitir de forma clara a minha forma de trabalhar, com toda a transparência possível para que nada fique por dizer ou clarificar. Faço questão de manter tudo escrito para vossa e minha segurança para que desse modo exista toda a confiança de ambos os lados. Dou todo o meu tempo disponível e dedico-me de coração a este meu projecto pessoal que também acaba por ser vosso, sem deixar qualquer dúvida de que a confiança é o pilar de um negócio.

Porque é que os álbuns não são prioridade?

Não tenho qualquer problema em vender álbuns digitais. O meu problema nasce quando o cliente não marca um serviço porque o álbum é obrigatório em determinado serviço. Na minha opinião o cliente deve poder ter acesso ao fotógrafo sem ter a obrigatoriedade de pagar por um álbum. O álbum, embora seja mágico e de um valor emocional impagável, também aumenta bastante o valor total do serviço. Sou flexível e pretendo estar disponível para todo o tipo de cliente, aquele que não quer o álbum porque não lhe dá valor, mas também aquele cliente que não pode adquirir um por razões financeiras e no entanto gostaria muito de ter acesso ao meu trabalho na mesma. Os álbuns não são prioridade porque não quero deixar de ser o teu fotógrafo só porque não queres (ou podes) ter um álbum.